Bea e o Jardim Encantado

Como se fosse uma história de encantar, recheada de flores cujo aroma se envolve e depois dissipa por entre o ar fresco e leve da manhã.
Para o batizado da Bea planeei uma temática meio vintage, meio romântica que se fundia com a natureza envolvente do espaço. Usei pela primeira vez uma cómoda vintage que tinha duas funções. Ao mesmo tempo que servia como ponto para decoração floral era também um ponto chave de personalização da decoração e de apoio. Por entre uma das gavetas entreaberta pendiam flores de vários tons que coloriam docemente a cómoda cujo topo acomodava de forma majestosa o bolo e todo um buffet de doces.

Adorei o enquadramento e a experiência de ter usado esta nova tendência. O uso de mobiliário vintage dá um toque muito especial ao decór e imprime personalidade e distinção.

Imaginem a oportunidade de poder utilizar num evento vosso, casamento, baptizado, festa de aniversário, etc moveis ou peças próprias que tenham um significado pessoal  que vai reflectir de forma única a personalidade de cada um. Afinal de contas o que nos pode fazer sentir mais em casa do que termos objectos com significado para nós.
Desde tocadores, a cómodas antigas, a espelhos, candeeiros, tudo pode, e deve,  ser utilizado para transformar o decôr de uma festa e criar um visual retro-chique. É até onde a imaginação nos levar.

Para além desta novidade, decidimos fazer uma única mesa para os convidados. Sempre no sentido de inovar e criar novas estilos. Montámos uma mesa grande rectangular com cadeiras brancas também estilo vintage (para combinar com a cómoda). Colocámos uma toalha branca e vários vasos cor de rosa com arranjos florais.
Mas não ficámos por aqui!  Sabem bem a importância que dou a pormenores, bem neste caso é mesmo um pequeno grande pormenor. Para completar a mesa utilizei um candeeiro antigo, restaurado e pintado a rosa que foi pendurei sobre a mesa dos convidados. O toque para o “tcharan” final!

E voilá! Está montadio um cenário único para o baptizado da pequena Bea ❤

Restauração do candeeiro: Dorota Przesmycka